No Brasil, a comercialização de produtos orgânicos cresceu 20% entre 2017 e 2018 e, no mundo, este mercado já movimenta US$ 97 bilhões. Conheça o perfil do consumidor e quais são os alimentos mais procurados

O mercado de produtos orgânicos está em franca expansão no Brasil. Somente em 2018, o setor faturou R$ 4 bilhões, um resultado 20% superior àquele registrado no ano anterior, de acordo com o Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável (Organis). O levantamento realizado pela entidade informa que o percentual de consumo de orgânicos no país é de 15%, sendo, proporcionalmente, o Sul e o Centro-Oeste os maiores consumidores e o Sudeste, o menor.

Trata-se de uma tendência global. No mundo todo, o mercado de orgânicos movimentou US$ 97 bilhões em 2017, tendo à frente no ranking de consumo Estados Unidos, Alemanha, França e China. Segundo a Federação Internacional de Movimentos da Agricultura Orgânica (Ifoam), que divulgou os números, são pelo menos cerca de 3 milhões de produtores orgânicos distribuídos em uma área de plantio de aproximadamente 70 milhões de hectares – número este que também está em crescimento.

Leia mais
Agricultura familiar: 70% da sua comida é produzida assim
Por quais embalagens passa sua comida até chegar à mesa?
O que significa cradle to cradle?

A América Latina é responsável por 11% da área total destinada aos orgânicos no planeta – cerca de 8 milhões de hectares. Na região, o Brasil é líder na comercialização de produtos orgânicos e cultiva 1,1 milhão de hectares dedicados à este modelo de produção; a Argentina tem área de aproximadamente 3,2 milhões de hectares dedicados.

Para a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), este segmento apresenta uma oportunidade de expansão da exportação para Estados Unidos e Europa, que produzem apenas 33% do volume total de alimentos livres de agrotóxico que consomem.

O perfil do consumidor de orgânicos

A pesquisa Consumo de produtos orgânicos no Brasil, publicada em 2017 pela Organis, conclui que, entre aqueles que compram orgânicos, a escolha é justificada principalmente por seus benefícios ligados à saúde – é a principal razão para 64% dos entrevistados. Na lista de alimentos mais consumidos, o primeiro lugar fica com as verduras (63% do consumo nacional é orgânico), com destaque para para alface, rúcula e brócolis. Na sequência estão os legumes (25%), as frutas (25%) e os cereais, caso do arroz (12%).

Mais de 60% dos consumidores compram produtos orgânicos em supermercados, enquanto 26% preferem ir às feiras, 4% buscam em lojas de produtos naturais e 3% compram diretamente do produtor rural. Eles buscam informações sobre os alimentos na embalagem (37%), nos locais de compra (27%) ou em selos certificados (8%) ou com amigos (8%).

Dos entrevistados, 84% afirmam que gostariam de consumir mais orgânicos, mas relatam que a falta de preços acessíveis (62%) e a falta de lugares próximos (32%) são as principais barreiras para tal.

Conteúdo publicado em 14 de maio de 2019

Veja Também

novo

Veja como as cidades se preparam para enfrentar as mudanças climáticas

Veja como as cidades se preparam para enfrentar as mudanças climáticas

O verão de 2003 foi um marco na avaliação dos riscos e consequências das mudanças climáticas. Durante julho e agosto daquele ano, muitas cidades europeias sofreram com a maior onda de calor no [...]

Faces da Lua: saiba o que são o eclipse solar, a Lua azul e a Superlua

Faces da Lua: saiba o que são o eclipse solar, a Lua azul e a Superlua

A Lua é o único satélite natural da Terra, e um dos maiores do Sistema Solar – proporcionalmente ao tamanho da Terra, ela lidera o ranking de nosso sistema estelar. O diâmetro da Lua regista [...]

Mudanças climáticas podem levar matérias-primas da cerveja à extinção

Mudanças climáticas podem levar matérias-primas da cerveja à extinção

O aquecimento global pode colocar a cerveja em risco. A conclusão é do estudo liderado por pesquisadores da Universidade Chinesa de Pequim e da Universidade de East Anglia (Inglaterra), publicado [...]