Estudo da McKinsey com 300 empresas analisou 100 mil ações de design e 2 milhões de pacotes de dados financeiros. Compromisso com design aumenta receita em 32% e retorno a investidores em 56%

Vistas como superficiais ou como um critério artístico menor, as práticas que observam a qualidade e funcionalidade do design não eram valorizadas no mundo corporativo em geral. Seu reconhecimento penava pela ausência de análises que demonstrassem o valor comercial agregado por procedimentos bem estruturados. Agora, novo estudo da consultoria McKinsey & Company conseguiu atestar o impacto do design nos negócios.

O relatório intitulado The Business Value of Design analisou dois milhões de dados financeiros e 100.000 ações de design – tentativas deliberadas de tornar o design uma parte proeminente dos negócios. A avaliação envolveu 300 empresas públicas e foi conduzida durante um período de cinco anos. A McKinsey descobriu que as equipes mais comprometidas em colocar em marcha princípios do design alcançaram 32% mais receita e 56% mais retorno total aos acionistas.

A McKinsey destaca os três setores onde a evolução foi mais notável: tecnologia médica, bens de consumo e banco de varejo. Benedict Sheppard, sócio da McKinsey, declarou em entrevista à Fast Company que está ficando cada vez mais difícil fazer com que produtos e serviços ganhem destaque entre a concorrência. “Acabamos de ver, nos últimos cinco anos, uma explosão de líderes empresariais dizendo: precisamos melhorar nossa performance em termos de design.”

Tópico de C-Suite

O termo C-suite se refere ao conjunto de funcionários do alto escalão de uma companhia. Antes visto como um tema de menor relevância, o design não estava presente nas discussões estratégicas dos principais líderes corporativos. Sheppard afirma que o relatório atual reconhece a maioridade do tema ao mapear e registrar experimentos de sucesso. “O design agora é um tópico de C-Suite.”

Sheppard e outros autores do estudo avaliaram diferentes ações, como colocar um líder de design na diretoria executiva ou vincular os bônus dos executivos às pontuações de usabilidade. Então, descobriram quatro ações diferentes que aumentaram a receita e os retornos totais e classificaram as 300 empresas estudadas usando uma métrica própria da consultoria.

Os 4 princípios do design de sucesso, segundo a McKinsey

1. Ter o design como métrica de sucesso

Acompanhar o impacto do design como uma métrica com a mesma intensidade com que se acompanha outras medidas, como o custo e a receita. Quanto o design contribuiu para o resultado final? Os diretores da empresa podem falar sobre o valor do design? A McKinsey citou em seu estudo o caso de uma empresa de jogos que, com um pequeno ajuste de usabilidade na página inicial de seu site, aumentou as vendas em 25%.

2. Focar na experiência do cliente

Conversando diretamente com usuários e clientes para descobrir suas necessidades não atendidas. Não fazer pesquisas de marketing comuns, mas investigações reais centrada na experiência do usuário.

3. Incluir designers nas equipes

Incorporar designers a equipes interdisciplinares e incentivar talentos de alto nível, pensando o design em todas as etapas do desenvolvimento de produtos e serviços, para que seja responsabilidade de todos.

4. Usar as técnicas do Design Thinking

Criando uma cultura de incentivo à pesquisa, prototipagem e interação com melhoria contínua. Basicamente, o que ficou conhecido como Design Thinking. Só porque um produto ou serviço é lançado não significa que o trabalho de design termina.

O relatório destaca ainda que “sem uma maneira clara de vincular o design à saúde dos negócios, os líderes sêniores muitas vezes relutam em destinar recursos para projetar funções”. Isso, ainda segundo a publicação, é problemático, porque muitos dos principais procedimentos que fortalecem o design exigem decisões e investimentos das diretorias. “Embora muitos designers estejam bem cientes de alguns ou de todos os quatro temas, eles normalmente não podem ser enfrentados apenas por designers e, muitas vezes, levam anos de compromisso de liderança para se estabelecerem.”

Conteúdo publicado em 18 de janeiro de 2019

Veja Também

novo

Veja como as cidades se preparam para enfrentar as mudanças climáticas

Veja como as cidades se preparam para enfrentar as mudanças climáticas

O verão de 2003 foi um marco na avaliação dos riscos e consequências das mudanças climáticas. Durante julho e agosto daquele ano, muitas cidades europeias sofreram com a maior onda de calor no [...]

Faces da Lua: saiba o que são o eclipse solar, a Lua azul e a Superlua

Faces da Lua: saiba o que são o eclipse solar, a Lua azul e a Superlua

A Lua é o único satélite natural da Terra, e um dos maiores do Sistema Solar – proporcionalmente ao tamanho da Terra, ela lidera o ranking de nosso sistema estelar. O diâmetro da Lua regista [...]

Mudanças climáticas podem levar matérias-primas da cerveja à extinção

Mudanças climáticas podem levar matérias-primas da cerveja à extinção

O aquecimento global pode colocar a cerveja em risco. A conclusão é do estudo liderado por pesquisadores da Universidade Chinesa de Pequim e da Universidade de East Anglia (Inglaterra), publicado [...]