Ao colocar em suas gôndolas água em garrafas de plástico reciclado, que são acinzentadas, a Co-op Food quer desafiar seus clientes a deixarem as questões estéticas de lado

A Co-op Food, unidade de negócios que responde pelas lojas que vendem alimentos do movimento cooperativo de consumidores do Reino Unido, planeja trocar 50% das suas garrafas de água de marca própria por garrafas feitas de plástico reciclado. Desta forma, a empresa coloca nas mãos dos clientes a decisão de optar, ou não, por uma solução mais sustentável, porém esteticamente diferente.

As novas garrafas, 100% recicláveis ​​e de origem local, são mais escuras, com um aspecto mais cinzento e opaco do que as que usam menos ou nenhum plástico reciclado. A Co-op tem 4,6 milhões de membros ativos que, no ano passado, apoiaram o desejo da empresa de operar com 100% de seus produtos com embalagens facilmente recicláveis.

Em comunicado oficial, a Co-op estima economizar quase 350 toneladas de plástico por ano quando fizer a mudança em toda a sua linha de produtos, que inclui água com gás e águas aromatizadas. Segundo a empresa, a redução do impacto ambiental dos produtos está no centro dos esforços da cooperativa. No início deste ano, a Co-op confirmou que era favorável à criação de um sistema de reembolso por devolução aos depósitos (DRS na sigla em inglês) para aumentar a reciclagem geral das embalagens. Neste caso, o cliente recebe uma pequena quantia em dinheiro por devolver as garrafas para a reciclagem.

Reciclagem é um dos futuros do plástico

A Co-op também planeja livrar sua gôndolas de plásticos escuros até 2020. O pigmento nesses plásticos dificulta a identificação e classificação pelas máquinas de reciclagem. Além disso, ele contamina o fluxo de reciclagem, reduzindo a utilidade e o valor do material recuperado.

O presidente-executivo da Co-op, Jo Whitfield, disse: “nossos clientes esperam que respondamos a esse desafio e que os ajudemos a fazer escolhas mais éticas, e nós nos dedicamos para fazer exatamente isso. Essas mudanças também criarão novos usos para materiais reciclados, o que, por sua vez, dará aos nossos clientes maior confiança na reciclagem”.

Já Iain Ferguson, gerente ambiental do Co-op, disse que os fornecedores estão trabalhando duro para tornar a garrafa de PET reciclado (rPET) mais clara, e que eles já evoluíram o bastante, mas não a ponto de deixá-la completamente transparente. “Enquanto isso, nossas garrafas terão essa cor acinzentada, que eu considero um distintivo de honra — somos parte do mercado de produtos reciclados e nos orgulhamos disso.”

Conteúdo publicado em 5 de abril de 2018

O que a Braskem está fazendo sobre isso?

Desde 2005, a Braskem usa a Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) para conhecer os aspectos relativos à sustentabilidade de sua cadeia de valor. As informações geradas pelos estudos de ACV embasam decisões relativas ao negócio. Ainda na cadeia de valor, a Braskem criou a Rede Empresarial Brasileira de ACV, fórum que congrega empresas para discutir o conceito e disseminar boas práticas na aplicação da ferramenta no ambiente empresarial.

Outra iniciativa da Braskem nessa área é a plataforma Wecycle, criada com o objetivo de desenvolver negócios e iniciativas para a valorização de resíduos plásticos por meio de parcerias. O propósito é trazer confiabilidade e qualidade ao desenvolvimento de produtos, soluções e processos que envolvam todos os elos da cadeia de reciclagem do plástico.

O Wecycle oferece matéria-prima de plástico reciclado com qualidade, rastreabilidade, regularidade de processos e atuação com responsabilidade social e ambiental para empresas comprometidas com o desenvolvimento sustentável. Trata-se de uma iniciativa que reforça o compromisso da Braskem com a inovação, a sustentabilidade e a cadeia do plástico no Brasil. Para saber mais acesse: http://www.braskem.com.br/wecycle

Veja Também

Energia eólica será a segunda maior fonte energética do Brasil em 2019

Energia eólica será a segunda maior fonte energética do Brasil em 2019

Só em 2017, foram investidos R$ 11,4 bilhões nos parques de energia eólica, e sua capacidade de produção cresceu 26,2% no período; hoje, o Brasil é o oitavo maior produtor do mundo

Paraná terá a primeira usina brasileira de energia gerada a lixo

Paraná terá a primeira usina brasileira de energia gerada a lixo

O estado do Paraná irá receber a primeira usina brasileira de energia gerada a partir do “lixo”, ou seja, de uma combinação de resíduos orgânicos e lodo de esgoto. A usina terá a tecnologia de [...]

Dessalinização da água é a melhor resposta para a crise hídrica?

Dessalinização da água é a melhor resposta para a crise hídrica?

A crise hídrica global é uma realidade e os prognósticos não são nada animadores: a ONU afirma que “até 2030, o planeta enfrentará um déficit de água de 40%, a menos que seja melhorada [...]