Cientistas da Universidade Berkeley desenvolveram o plástico PDK que, quando submetido a uma solução altamente ácida, se decompõe como um Lego e pode ser 100% reciclado indefinidamente

Leve, resistente, maleável e barato, o plástico é um material de mil e uma utilidades e benefícios para a indústria e para o consumidor final. O problema é seu descarte: das mais de 8 bilhões de toneladas de plástico produzidas na história da humanidade, apenas 9% foi reciclado e 70% virou lixo.

Embora o plástico em si seja totalmente reciclável, é muito comum que ele receba aditivos como corantes, tintas, estabilizadores de temperatura, entre outros, para seu uso comercial. Realizar a reciclagem completa nestes casos exige gasto energético e investimento econômico. Isso, por enquanto.

Pesquisadores do Berkeley Lab, laboratório de inovação da Universidade da Califórnia, em Berkeley, projetaram um novo tipo de plástico e um novo tipo de processo químico que tornam o material integralmente e quase infinitamente reciclável. Em artigo publicado na revista Nature Chemistry, os cientistas batizaram a nova substância de poli-dicetoenamina, ou PDK.

Plástico funciona como uma peça de Lego

Os responsáveis pelo desenvolvimento do PDK explicam que o material funciona assim como um brinquedo de Lego: as peças (ou moléculas químicas) podem ser montadas e desmontadas conforme a necessidade do uso do plástico, sendo reutilizadas em diferentes formatos, texturas e cores, para diferentes propósitos, quantas vezes for necessário – e sem perda de qualidade.

“Descobrimos uma nova maneira de montar plásticos que leva em consideração a reciclagem de uma perspectiva molecular”, explicou Peter Christensen, pesquisador de Berkeley envolvido no projeto. Isso funciona a partir da desconstrução dos polímeros (moléculas grandes que compõem todos os tipos de plástico) em unidades de compostos menores, chamados monômeros.

Os plásticos convencionais, quando ligados quimicamente aos mais variados tipos de aditivos, perdem grande parte de sua capacidade de reciclagem, sobretudo devido ao custo exigido para recuperá-los. Sem retorno econômico para a indústria da reciclagem, são dispensados como resíduos sólidos convencionais. O PDK, garantem seus criadores, funciona de forma diferente.

“Com PDKs, os atributos imutáveis ​​de plásticos convencionais são substituídos por ligações reversíveis que permitem que o plástico seja reciclado de forma mais eficaz”, afirmou Brett Helms, um dos cientistas envolvidos no projeto. A chave disso está no processo químico.

Quando o PDK é descartado, ele é mergulhado em uma solução altamente ácida que quebra as ligações entre os monômeros e os separa de quaisquer aditivos químicos. E mais que isso: sem perda de seus atributos originais. Nos testes realizados no Berkeley Lab, tais monômeros foram recompostos em polímeros e formaram novos materiais plásticos.

Os cientistas esperam que o novo material possa servir de matéria-prima para objetos como adesivos, caixas de telefone, pulseiras de relógio, calçados, cabos de computador e peças automotivas. “Estamos interessados ​​na química que redireciona o ciclo de vida dos plásticos de linear para circular”, concluiu Helms.

Conteúdo publicado em 27 de junho de 2019

O que a Braskem está fazendo sobre isso?

Desde 2005, a Braskem usa a Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) para conhecer os aspectos relativos à sustentabilidade de sua cadeia de valor. As informações geradas pelos estudos de ACV embasam decisões relativas ao negócio. Ainda na cadeia de valor, a Braskem criou a Rede Empresarial Brasileira de ACV, fórum que congrega empresas para discutir o conceito e disseminar boas práticas na aplicação da ferramenta no ambiente empresarial.

Outra iniciativa da Braskem nessa área é a plataforma Wecycle, criada com o objetivo de desenvolver negócios e iniciativas para a valorização de resíduos plásticos por meio de parcerias. O propósito é trazer confiabilidade e qualidade ao desenvolvimento de produtos, soluções e processos que envolvam todos os elos da cadeia de reciclagem do plástico.

 O Wecycle oferece matéria-prima de plástico reciclado com qualidade, rastreabilidade, regularidade de processos e atuação com responsabilidade social e ambiental para empresas comprometidas com o desenvolvimento sustentável. Trata-se de uma iniciativa que reforça o compromisso da Braskem com a inovação, a sustentabilidade e a cadeia do plástico no Brasil. Para saber mais acesse: http://www.braskem.com.br/wecycle

Veja Também

Epidemia urbana: até onde chega a febre dos veículos compartilhados?

Epidemia urbana: até onde chega a febre dos veículos compartilhados?

Difícil encontrar um smartphone que não tenha instalado aplicativos de transporte. Seja solicitação de viagem sob medida, carona coletiva, aluguel de bicicletas ou até uso compartilhado de [...]

O que é indústria 4.0 e como ela pode afetar seu emprego?

O que é indústria 4.0 e como ela pode afetar seu emprego?

Quem tem medo da indústria 4.0? Em muitos círculos, a chegada da quarta revolução industrial causa calafrios. Entre os mais preocupados, um medo assusta mais do que qualquer outro: o desemprego. [...]

Conheça a nave que pode levar o homem de volta à Lua em 2024

Conheça a nave que pode levar o homem de volta à Lua em 2024

O ser humano pisou na Lua pela primeira vez em 20 de julho de 1969. Nos três anos seguintes, outras seis missões do projeto Apollo levaram 12 astronautas à superfície lunar. Mas, desde que a [...]