Uniforme de dez seleções que estão no Mundial da Rússia têm de 12 a 18 garrafas plásticas recicladas em sua composição

Que o plástico serve de matéria-prima para uma enorme gama de produtos não é bem uma novidade. Também é sabido que é imperativo adotar um novo padrão de comportamento no qual o pós-consumo da substância seja inteligente. Uma das formas mais eficientes é a reciclagem. O plástico reciclado pode ser tão útil quanto o original e a prova disso está em campo, na Copa do Mundo.

Nos gramados da Rússia, dez seleções nacionais, inclusive a Brasileira, vestem seus jogadores com uniformes cuja composição leva plástico reciclado. De acordo com a Nike, fabricante e desenvolvedora da tecnologia, o material foi usado tanto para os kits Fast Fit Vaporknit (usados pelo Brasil, Croácia, Inglaterra, Nigéria, Polônia e Portugal) quanto os kits Nike’s Match (usados pela Austrália, Arábia Saudita e Coreia do Sul).

Para cada uma das 11 camisetas que entram em campo, foram recicladas entre 12 a 18 garrafas plásticas. O processo funciona da seguinte maneira: as garrafas são limpas, quebradas em pequenos flocos e convertidas em pellets que, por sua vez, são derretidos e processados em fios, que dão origem ao tecido.

A inclusão de plástico reciclado faz parte de um programa da Nike que começou em 2012 e já reaproveitou cerca de 5 bilhões de garrafas plásticas.

Uniforme da Seleção Brasileira

Além de ser confeccionada com fios produzidos com material reciclado de garrafas plásticas, o uniforme da Seleção Brasileira tem tom de amarelo mais vibrante do que em outras edições do campeonato e, pela primeira vez em 50 anos, a camiseta número um tem detalhes em azul.

Conteúdo publicado em 2 de julho de 2018

O que a Braskem está fazendo sobre isso?

A Braskem tem ações práticas nesse sentido em todas as fases do pós-consumo do plástico. Os projetos de reciclagem, em especial, estão centralizados na plataforma Wecycle. Em 2016, foram desenvolvidas as primeiras resinas de polipropileno e polietileno, feitas a partir de conteúdo totalmente reciclado. O volume de produção previsto é de até 50 toneladas mensais. Este material é utilizado para diversos fins, um deles é a construção de bicicletas.

Veja Também

Energia eólica será a segunda maior fonte energética do Brasil em 2019

Energia eólica será a segunda maior fonte energética do Brasil em 2019

Só em 2017, foram investidos R$ 11,4 bilhões nos parques de energia eólica, e sua capacidade de produção cresceu 26,2% no período; hoje, o Brasil é o oitavo maior produtor do mundo

Paraná terá a primeira usina brasileira de energia gerada a lixo

Paraná terá a primeira usina brasileira de energia gerada a lixo

O estado do Paraná irá receber a primeira usina brasileira de energia gerada a partir do “lixo”, ou seja, de uma combinação de resíduos orgânicos e lodo de esgoto. A usina terá a tecnologia de [...]

Dessalinização da água é a melhor resposta para a crise hídrica?

Dessalinização da água é a melhor resposta para a crise hídrica?

A crise hídrica global é uma realidade e os prognósticos não são nada animadores: a ONU afirma que “até 2030, o planeta enfrentará um déficit de água de 40%, a menos que seja melhorada [...]