Cerca de 30 gigantes da cadeia de valor dos plásticos, entre elas a brasileira Braskem, anunciam aliança para investir até US$ 1,5 bi a fim de combater a poluição plástica, sobretudo nos oceanos

Cerca de 30 das maiores empresas do mundo envolvidas na cadeia de valor dos plásticos assinaram uma aliança inédita para combater a poluição plástica. A Aliança para o Fim dos Resíduos Plásticos (AEPW, sigla em inglês para “Alliance to End Plastic Waste”), da qual a petroquímica brasileira Braskem faz parte, anunciou o compromisso de investir US$ 1 bilhão em projetos e tecnologias para acabar com o descarte do lixo plástico no meio-ambiente, sobretudo nos oceanos. A meta é aumentar o investimento para até US$ 1,5 bilhão nos próximos 5 anos.

A AEPW é uma organização sem fins lucrativos e inclui toda a cadeia de valor dos plásticos: empresas que produzem, utilizam, vendem, processam, coletam e reciclam plásticos. Isso inclui fabricantes de químicos e plásticos, transformadores, companhias de bens de consumo, revendedores e empresas que trabalham com gestão de resíduos; e opera como parceira estratégica do Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável.

“Nenhum de nós deseja um meio ambiente repleto de resíduos plástico. Este é um desafio global sério e complexo que exige ações rápidas e forte liderança. Esta nova Aliança é o esforço mais abrangente já feito para dar fim ao descarte de plásticos no meio ambiente”, afirma Fernando Musa, presidente da Braskem. “O plástico é um material extremamente eficiente que ajuda a minimizar nosso impacto no meio ambiente em quase todos os aspectos da vida moderna. Mas precisamos trabalhar para minimizar o descarte, assim como para reciclar e recuperar o plástico depois de usado.”

Como a aliança global vai operar?

“Todos concordam que os resíduos de plástico não pertencem aos nossos oceanos ou em qualquer parte do ambiente. Este é um desafio global complexo e sério que exige uma ação rápida e uma liderança forte. Esta nova aliança é o esforço mais abrangente até o momento para acabar com o desperdício de plástico no meio ambiente ”, disse David Taylor, presidente da organização e CEO da Procter & Gamble, em nota da entidade.

O plano de ação da aliança global inclui parcerias com prefeituras para projetar sistemas integrados de gestão de resíduos urbanos, especialmente onde há rios que carregam resíduos plásticos aos oceanos, e com organizações intergovernamentais, caso da Organização das Nações Unidas (ONU). A AEPW também vai também custear o desenvolvimento e a promoção de tecnologias, de modelos de negócios e do empreendedorismo para a gestão de resíduos e reciclagem.

“A história nos mostrou que ações coletivas e parcerias entre a indústria, governos e organizações não-governamentais (ONGs) podem fornecer soluções inovadoras para um desafio global como este”, afirmou em comunicado Bob Patel, vice-presidente da AEPW e CEO da LyondellBasell. “O tempo de agir é agora”, completou.

Conteúdo publicado em 7 de março de 2019

Veja Também

novo

Como Nobel de Química usa micróbios para o desenvolvimento sustentável

Como Nobel de Química usa micróbios para o desenvolvimento sustentável

Em 2018, Frances H. Arnold, professora de Engenharia Química do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), foi reconhecida com o prêmio máximo de sua carreira: o Prêmio Nobel de Química. A [...]

novo

Conheça a nave que pode levar o homem de volta à Lua em 2024

Conheça a nave que pode levar o homem de volta à Lua em 2024

O ser humano pisou na Lua pela primeira vez em 20 de julho de 1969. Nos três anos seguintes, outras seis missões do projeto Apollo levaram 12 astronautas à superfície lunar. Mas, desde que a [...]

Epidemia urbana: até onde chega a febre dos veículos compartilhados?

Epidemia urbana: até onde chega a febre dos veículos compartilhados?

Difícil encontrar um smartphone que não tenha instalado aplicativos de transporte. Seja solicitação de viagem sob medida, carona coletiva, aluguel de bicicletas ou até uso compartilhado de [...]