Cerca de 30 gigantes da cadeia de valor dos plásticos, entre elas a brasileira Braskem, anunciam aliança para investir até US$ 1,5 bi a fim de combater a poluição plástica, sobretudo nos oceanos

Cerca de 30 das maiores empresas do mundo envolvidas na cadeia de valor dos plásticos assinaram uma aliança inédita para combater a poluição plástica. A Aliança para o Fim dos Resíduos Plásticos (AEPW, sigla em inglês para “Alliance to End Plastic Waste”), da qual a petroquímica brasileira Braskem faz parte, anunciou o compromisso de investir US$ 1 bilhão em projetos e tecnologias para acabar com o descarte do lixo plástico no meio-ambiente, sobretudo nos oceanos. A meta é aumentar o investimento para até US$ 1,5 bilhão nos próximos 5 anos.

A AEPW é uma organização sem fins lucrativos e inclui toda a cadeia de valor dos plásticos: empresas que produzem, utilizam, vendem, processam, coletam e reciclam plásticos. Isso inclui fabricantes de químicos e plásticos, transformadores, companhias de bens de consumo, revendedores e empresas que trabalham com gestão de resíduos; e opera como parceira estratégica do Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável.

“Nenhum de nós deseja um meio ambiente repleto de resíduos plástico. Este é um desafio global sério e complexo que exige ações rápidas e forte liderança. Esta nova Aliança é o esforço mais abrangente já feito para dar fim ao descarte de plásticos no meio ambiente”, afirma Fernando Musa, presidente da Braskem. “O plástico é um material extremamente eficiente que ajuda a minimizar nosso impacto no meio ambiente em quase todos os aspectos da vida moderna. Mas precisamos trabalhar para minimizar o descarte, assim como para reciclar e recuperar o plástico depois de usado.”

Como a aliança global vai operar?

“Todos concordam que os resíduos de plástico não pertencem aos nossos oceanos ou em qualquer parte do ambiente. Este é um desafio global complexo e sério que exige uma ação rápida e uma liderança forte. Esta nova aliança é o esforço mais abrangente até o momento para acabar com o desperdício de plástico no meio ambiente ”, disse David Taylor, presidente da organização e CEO da Procter & Gamble, em nota da entidade.

O plano de ação da aliança global inclui parcerias com prefeituras para projetar sistemas integrados de gestão de resíduos urbanos, especialmente onde há rios que carregam resíduos plásticos aos oceanos, e com organizações intergovernamentais, caso da Organização das Nações Unidas (ONU). A AEPW também vai também custear o desenvolvimento e a promoção de tecnologias, de modelos de negócios e do empreendedorismo para a gestão de resíduos e reciclagem.

“A história nos mostrou que ações coletivas e parcerias entre a indústria, governos e organizações não-governamentais (ONGs) podem fornecer soluções inovadoras para um desafio global como este”, afirmou em comunicado Bob Patel, vice-presidente da AEPW e CEO da LyondellBasell. “O tempo de agir é agora”, completou.

Conteúdo publicado em 7 de março de 2019

Veja Também

Você está pronto para um futuro com carros impressos e casas de bambu?

Você está pronto para um futuro com carros impressos e casas de bambu?

A tabela periódica tem 118 elementos químicos que compõem tudo que nós, seres humanos, já vimos ou tocamos. Apenas quatro, porém, estão sempre presentes nas moléculas de organismos vivos. São [...]

Não conheceu o Museu Nacional antes do incêndio? O Google te ajuda

Não conheceu o Museu Nacional antes do incêndio? O Google te ajuda

O Museu Nacional, no Rio de Janeiro, guardava um tesouro natural e cultural com mais de 20 milhões de itens catalogados, o maior da América Latina e um dos maiores do mundo. Sediado no Palácio de [...]

Como a sustentabilidade se integra à indústria automotiva

Como a sustentabilidade se integra à indústria automotiva

Estratégias de desenvolvimento de produto e peças melhoram a produção no setor enquanto certificações ambientais e controles de qualidade protegem a natureza