Redes sociais. Crédito: Tim Bennett/Unsplash

Instagram e Facebook anunciam função que mede tempo nas redes sociais

As redes sociais terão, em breve, ferramentas que permitem contabilizar tempo gasto nos aplicativos e configurar alertas que indicam o uso exagerado das plataformas

As redes sociais Facebook e Instagram, ambas pertencentes ao Facebook Inc., anunciaram uma nova função em seus aplicativos para smartphone: em breve, os usuários poderão conferir o tempo que passam usando cada uma dessas plataformas. Em anúncio assinado por Ameet Ranadive, diretor de gerenciamento de produtos no Instagram, e David Ginsberg, diretor de pesquisa no Facebook, as empresas informaram que a nova ferramenta tem o objetivo de ajudar as pessoas a gerenciarem melhor o tempo que passam conectadas. Com a novidade, será possível configurar o disparo de lembretes diários para controlar o tempo de uso das redes e ainda limitar a frequência das notificações emitidas pelos aplicativos.

A empresa não deu data certa para o lançamento das ferramentas de controle, mas já detalhou como elas serão ativadas. Segundo o Facebook Inc., para acessar as novas ferramentas, bastará, ao usuário, clicar na seção “Configuração” em qualquer um dos dois aplicativos e, depois, em “Sua atividade”, no caso do Instagram, ou em “Tempo no Facebook”, no caso do Facebook. Na parte superior, será exibido um painel que mostra o tempo médio de uso do aplicativo no dispositivo acessado. Um toque em um dos gráficos revelará o tempo total de uso do dia.

Abaixo do painel, o usuário poderá definir um lembrete diário que vai alertar quando o tempo estipulado para aquele aplicativo acabar. Todas as configurações poderão ser alteradas ou canceladas a qualquer momento. Será possível, ainda, na seção de “Configurações de notificação” acessar a nova opção de “Silenciar Notificações Push”, que limitará as notificações do Facebook ou do Instagram por um período preestabelecido.

Facebook está preocupado com saúde mental dos usuários

Segundo o Facebook, a nova ferramenta foi desenvolvida com a colaboração de especialistas, acadêmicos e organizações líderes em saúde mental. O feedback da comunidade de usuários da rede social também foi levado em conta. “Queremos que o tempo que as pessoas passam no Facebook e no Instagram seja positivo, inspirador e com propósito”, afirma o texto.

A disponibilização dessas ferramentas aos usuários está em linha com uma série de medidas que vêm sendo tomadas pelo Facebook desde dezembro de 2017, quando foi publicado o artigo Hard Questions: Is Spending Time on Social Media Bad for Us? (“Perguntas difíceis: passar tempo nas redes sociais faz mal?”, em tradução livre). O texto explorou pesquisas científicas e opiniões positivas e negativas de especialistas sobre as redes sociais, além dos impactos que elas podem ter sobre a saúde mental de seus usuários. Há fortes evidências de que o uso intensivo destas redes está relacionada à ansiedade e depressão e de que seus efeitos podem ser mais viciantes que o consumo álcool e cigarro.

Desde então, o Facebook vem mudando os algoritmos que determinam as postagens mais relevantes - e que aparecem, com mais frequência, na timeline dos usuários - e aprimorou os recursos como o “ver primeiro”, “ocultar”, “deixar de seguir” e “soneca”. No Instagram, foram implementadas ferramentas como “aviso de conteúdo sensível” e filtros de palavras-chave, de comentários ofensivos e de bullying.

A companhia reforçou seu compromisso de colaborar com a prevenção de suicídio, incluindo a expansão da identificação proativa de conteúdo que indique suicídio ou automutilação e melhorias na disponibilização de contatos de ajuda em parceria com o Centro de Valorização da Vida (CVV) no Brasil.

“Nós queremos que o tempo que as pessoas passam no Facebook as encoraje a interações sociais significativas”, afirmou o fundador e CEO do Facebook Mark Zuckerberg no anúncio de dezembro.